quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

HEMOSE NOTÍCIAS


HEMOSE INICIOU NESTE ÚLTIMO SÁBADO A CAMPANHA DE DOAÇÂO PARA O CARNAVAL


De acordo com a Secretaria da Saúde do estado de Sergipe, a inalidade de sensibilizar os cidadãos para o ato da doação de sangue. Dentre essas ações, Pdemos destacar a Blitz da Cidadania, o resgate do ‘Santo de Casa Também Faz Milagre’ além do Projeto Verão, promovido pela Clínica e Hospital São Lucas, que intensificou o trabalho para ampliação do cadastro de Medulo Óssea.

lembrando que para doar sangue é:
Peciso apresentar documento oficial, com foto, expedido por órgão público; estar bem de saúde; ter entre 18 e 65 anos de idade; pesar acima de 50 kg; dormir bem nas últimas 24 horas; não estar em jejum; não ingerir bebidas alcoólicas 12 horas antes da doação; dentre outros.

Os interessados em fazer doações de sangue podem procurar o Hemose, situado na Avenida Tancredo Neves, vizinho ao Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), nos seguintes horários: de segunda a sexta-feira, de 7h às 17h, e aos sábado, de 8h às 12h. Mais informações através dos telefones (79)3259-3191 e 3259-3174.

DIÁRIO DE UMA FALCÊMICA





Há muito tempo sentia necessidade de dividir minhas experiências dolorosas presentes em toda a minha vida,e, felizmente por poder desabafar ou para a infelicidade de quem ouve, estou conseguindo ao simplesmente perceber que as palavras vão surgindo da minha boca.



ISTO É REVOLTANTE
Como muitos sabem, sou usuária do Hidroxiuréia e desde o dia 28 de Fevereiro não me intimido com este medicamento, pois o Centro de Atendimento a Saúde em Sergipe(CASE) informa na maior frieza a todos os pacientes que diversos medicamentos estão em falta. contudo aguardei, e ligava todos os dias esperançosa. como os dias foram pasando e não tivemos respostas sobre o útil medicamento em minha vida, meu pai fez o pedido em uma drogaria na cidade de São Paulo e ontem ao chegar a mercadoria meu pai telefonou para o CASE na qual foi informado de que havia chegado.
Hoje pela manhã fui até o atendimento para retirar meu medicamento que tenho por direito e me foi informado de que não poderia retirar naquele momento, e teria que fazer uma nova renovação. Senti uma revolta imensa. Sabia que não poderia contar com ninguém ali, mas para o grande Pai que é Deus nada é impossível e tentei contornar a situação, mas confesso que mesenti pertubada ao ver que uma funcionária gozava de minha pessoa enquanto me humilhava para obter um medicamento que é pago com a contribuição de todos nós.... enfim, sei agi de maneira incoerente pois literalmente soltei os cachorros em cima de quem não merecia e me senti mais revoltada não somente por mim, ou seja, por eu estar ali me humilhando, mas por saber que existem tantas outras pessoas que retornarão de lugares mais distantes perdendoas esperanças..., mas como a esperança não morre, espero que a humildade seja brotada no coração de cada um paa agir de maneira compreensiva para com opróximo que ali se encontra não vendo mais como mais um.





A MORFINA





Este pequeno vegetal exótico que aparenta ser inofensivo, é a tão falada morfina.A morfina é um fármaco narcótico do grupo dos opióides, que é usado no tratamento sintomático da dor. Ela está presente no ópio.
Foi isolada pela primeira vez em 1804 pelo farmacêutico alemão Friedrich Wilhelm Adam Serturner, que lhe deu o nome em honra do deus grego do sono, Morfeu.
A partir da 1852 com a invenção da agulha hipodermica, generalizou-se o seu uso. Era usada no tratamento da dor, e do alcoolismo e consumo de ópio (as últimas duas utilizações sem benefício e altamente perigosas como se sabe hoje). Foi utilizada na guerra civil americana, resultando em 400.000 soldados com síndrome de dependência devido ao seu uso impróprio.
A Heroína (diacetilmorfina) foi derivada da morfina em 1874.

Toda essa história




USOS CLÍNICOS
• Dor crônica: é a primeira escolha no tratamento da dor crónica pós-operativa, no cancro e outras situações. Tem vindo a ser substituída como primeira escolha pelo fentanil.
• Dor aguda forte: em trauma, dor de cabeça (cefaleia), ou no parto. Não se devem usar nas cólicas biliares (lítiase biliar ou pedra na vesícula) porque provocam espasmos que podem aumentar ainda mais a dor. Não é primeira escolha na dor inflamatória (são usados AINEs).
• Na anestesia geral como adjuvante a gás anestésico principal.

CONTRA INDICAÇÃO
• Hipertensão craniana como na meningite.
• Gravidez
• Insuficiência renal.
• Insuficiência hepática
• Juntamente com outros depressores do SNC, como álcool, benzodiazepinas e barbitúricos. Nem com antipsicóticos ou antidepressivos.


EFEITOS ADVERSOS
Comuns:
• Euforia pode conduzir à dependência.
• Sedação
• Miose: constrição da pupila do olho
• Depressão respiratória: em overdose constitui a principal causa de morte. Há alguma diminuição da respiração mesmo em doses terapêuticas.
• Supressão da tosse: pode ser perigosa se houver infecções pulmonares.
• Rigidez muscular.
• Vasodilatação com calores na pele.
• Prurido cutâneo.
• Ansiedade, alucinações, pesadelos.
• Vómitos por activação da zona postrema medular centro emético neuronal.
-Incomuns:
• Libertação de hormona prolactina com possível ginecomastia (crescimento das mamas) nos homens e galactorreia (secreção de leite) nas mulheres.
• Prolongamento do parto.
• Redução da função renal.
Principalmente há muitos estudos sobre alguém que está com câncer está também usando morfina.(?)

EFEITOS TÓXICOS
Os narcóticos sendo usados através de injeções dentro das veias, ou em doses maiores por via oral, podem causar grande depressão respiratória e cardíaca. A pessoa perde a consciência, fica de cor meio azulada porque a respiração muito fraca quase não mais oxigena o sangue e a pressão arterial cai a ponto de o sangue não mais circular direito: é o estado de coma que se não for atendido pode levar à morte. Literalmente centenas ou mesmo milhares de pessoas morrem todo ano na Europa e Estados Unidos intoxicadas por heroína ou morfina. Além disso, como muitas vezes este uso é feito por injeção, com freqüência os dependentes acabam também por pegar infecções como hepatite e mesmo AIDS. Aqui no Brasil, uma destas drogas tem sido utilizada com alguma freqüência por injeção venosa: é propoxifeno (principalmente o Algafan®). Acontece que esta substância é muito irritante para as veias, que se inflamam e chegam a ficar obstruídas. Existem vários casos de pessoas com sérios problemas de circulação nos braços por causa disto. Há mesmo descrição de amputação deste membro devido ao uso crônico de Algafan® .
Outro problema com estas drogas é a facilidade com que elas levam à dependência, ficando as mesmas como o centro da vida das vítimas. E quando estes dependentes, por qualquer motivo, param de tomar a droga, ocorre um violento e doloroso processo de abstinência, com náuseas e vômitos, diarréia, câimbras musculares, cólicas intestinais, lacrimejamento, corrimento nasal, etc, que pode durar até 8-12 dias.
Além do mais o organismo humano se torna tolerante a todas estas drogas narcóticas. Ou seja, como o dependente destas não mais consegue se equilibrar sem sentir os seus efeitos ele precisa tomar cada vez doses maiores, se enredando cada vez mais em dificuldades, pois para adquiri-las é preciso cada vez mais dinheiro.


EFEITOS CLINICAMENTE ÚTEIS
• Analgesia central com supressão de ambas dor física e emocional.
• Sedação na anestesia.

FONTE: http://www.ff.up.pt/toxicologia/monografias/ano0708/g15_morfina/farmacocinetica.htm

SANGUE: DOE VIDAS



Esta foi a última campanha lançada pelo Ministério da Saúde onde são relatados
exemplos de doações em pacientes com Anemia Falciforme


O sangue é um composto de células que cumprem funções como levar oxigênio a cada parte do corpo, defender o organismo contra infecções e participar na coagulação. Não existe nada que substitua o sangue e, por isso, ele é vital.

A quantidade de sangue retirada não afeta a saúde do doador porque a recuperação é imediata após a doação. Uma pessoa adulta tem em média cinco litros de sangue e, em uma doação, são coletados no máximo 450 ml. É pouco para você e muito para quem precisa.

Ao decidir doar sangue, o doador passa por uma entrevista para dar maior segurança a quem doa e a quem o receberá. Neste momento, o doador também receberá informações e poderá tirar todas as suas dúvidas.

É importante lembrar que a participação de pessoas com sangue fator RH negativo é fundamental, já que ele está presente em apenas 15% da população mundial. As festas juninas e os períodos de férias escolares costumam ser críticos. Por isso, doe sempre que puder e, especialmente, nestas épocas do ano.

CONDIÇÕES BÁSICAS PARA DOAR SANGUE
- Sentir-se bem, com saúde;
- Apresentar documento com foto, válido em todo território nacional;
- Ter entre 18 e 65 anos;
- Pesar mais de 50 quilos.

RECOMENDAÇÕES PARA O DIA DA DOAÇÃO
- Nunca vá doar sangue em jejum;
- Durma pelo menos seis horas na noite anterior à doação;
- Não tome bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores;
- Evite fumar por pelo menos duas horas antes da doação;
- Evite alimentos gordurosos nas três horas antecedentes à doação;
- Interrompa por 12 horas atividades como pilotar avião, helicóptero, conduzir ônibus ou caminhões de grande porte, subir em andaimes e praticar paraquedismo ou mergulho.

QUEM NÃO PODE DOAR
- Quem teve diagnóstico positivo de hepatite B e C;
- Mulheres grávidas ou que estejam amamentando;
- Pessoas que estão expostas às doenças transmissíveis pelo sangue como AIDS, hepatite, sífilis e doença de Chagas;
- Usuários de drogas;
- Pessoas que fizeram tatuagens ou colocaram piercing em locais não controlados pela Vigilância Sanitária nos últimos 12 meses;
- Aqueles que tiveram relacionamento sexual com parceiro desconhecido ou eventual, sem uso de preservativo, nos últimos 12 meses.

DIREITOS DO DOADOR
O doador voluntário tem direito a um atestado médico que lhe concede um dia de folga no trabalho ou na escola. Doadores regulares são isentos das taxas de inscrições em concursos públicos. Além de ajudar a salvar vidas, quem decide doar sangue tem a oportunidade de passar por uma avaliação médica criteriosa de forma gratuita.

O QUE ACONTECE DEPOIS DA DOAÇÃO
O doador recebe um lanche, instruções referentes ao seu bem-estar e poderá posteriormente conhecer os resultados dos exames que serão feitos em seu sangue. Estes testes detectarão seu tipo sangüíneo e doenças como AIDS, sífilis, doença de chagas, HTLV I/II, hepatites B e C. Em caso de positividade de algum destes testes, o doador será convocado para coletar uma nova amostra para confirmação, se necessário, encaminhado a um serviço de saúde.

O DESTINO DO SANGUE DOADO
Todo sangue doado é separado em diferentes componentes como hemácias, plaquetas e plasma, o que permite que mais de um paciente seja beneficiado a partir da mesma coleta. Os componentes são distribuídos aos hospitais sergipanos para atender a casos de emergência e a pacientes internados.

HORÁRIO
O Hemocentro funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h30min, sem intervalo para almoço. O fornecimento de sangue para as unidades funciona diariamente com plantão 24 horas.

AGENDAMENTO PARA DOAÇÃO DE SANGUE


Para agendar o horário de sua doação particular ou de doações em grupo, basta ligar para os setores de Recursos Humanos ou Serviço Social do Hemocentro pelo telefone (79) 3259-3191.

O Banco de Sangue do Hemose funciona de segunda a sexta, das 7h30min às 17h30min. Para agendar o horário de sua doação particular ou de doações em grupo, basta ligar para o telefone (79) 3259-3191 e falar com a equipe do Banco de Sangue, localizado na Avenida Tancredo Neves, atrás do Hospital de Urgência de Sergipe João Alves Filho (HUSE).




FONTE: http://www.ses.se.gov.br/hemose/index.php?act=secao&sec=25

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

SONATAS À ESPERANÇA HOJE E SEMPRE

SALMO 40

1. Ao mestre de canto. Salmo de Davi.
2. Feliz quem se lembra do necessitado e do pobre, porque no dia da desgraça o Senhor o salvará.
3. O Senhor há de guardá-lo e o conservará vivo, há de torná-lo feliz na terra e não o abandonará à mercê de seus inimigos.
4. O Senhor o assistirá no leito de dores, e na sua doença o reconfortará.
5. Quanto a mim, eu vos digo: Piedade para mim, Senhor; sarai-me, porque pequei contra vós.
6. Meus inimigos falam de mim maldizendo: Quando há de morrer e se extinguir o seu nome?
7. Se alguém me vem visitar, fala hipocritamente. Seu coração recolhe calúnias e, saindo fora, se apressa em divulgá-las.
8. Todos os que me odeiam murmuram contra mim, e só procuram fazer-me mal.
9. Um mal mortal, dizem eles, o atingiu; ei-lo deitado, para não mais se levantar.
10. Até o próprio amigo em que eu confiava, que partilhava do meu pão, levantou contra mim o calcanhar.
11. Ao menos vós, Senhor, tende piedade de mim; erguei-me, para eu lhes dar a paga que merecem.
12. Nisto verei que me sois favorável, se meu inimigo não triunfar de mim.
13. Vós, porém, me conservareis incólume, e na vossa presença me poreis para sempre.
14. Bendito seja o Senhor, Deus de Israel, de eternidade em eternidade! Assim seja! Assim seja!




"A felicidade aparece para aqueles que choram.
Para aqueles que se machucam.
Para aqueles que buscam e tentam sempre".

(Clarice Lispector)


A FÉ

O mestre encontrou-se com os discípulos certa noite, e pediu que acendessem uma fogueira para que pudessem conversar.
0 caminho espiritual é como o jogo que arde diante de nós – disse. – Um homem que deseja acendê-lo tem que se conformar com a fumaça desagradável, que torna a respiração difícil e arranca lágrimas do rosto.
Assim é a reconquista da fé.
Entretanto, uma vez o fogo aceso, a fumaça desaparece, e as chamas iluminam tudo ao redor, nos dando calor e calma.
E se alguém acender o fogo para nós? – perguntou um dos discípulos. – E se alguém nos ajudar a evitar a fumaça?
-Se alguém fizer isto, é um falso mestre. Que pode levar o fogo para onde tiver vontade, ou apagá-lo, na hora que quiser. E como não ensinou ninguém a acendê-lo, é capaz de deixar todo mundo na escuridão.

(autor desconhecido)



HIDROXIURÉIA (Artigo)


Hidroxiuréia em pacientes com síndromes falciformes acompanhados no Hospital Hemope, Recife, Brasil

Flavia M. G. C. BandeiraI; Jaqueline C. PeresII; Eduardo J. CarvalhoIII; Ivane BezerraIV; Aderson S. AraújoV; Mariana R. B. MelloIII; Cíntia MachadoV

IMestre em Pediatria, Hematologista Pediatra do Hemope
IIHematologista Pediatra do Hemope
IIIBolsista de Iiciação Científica - Hemope/Facepe
IVBiomédica, Hospital Hemope
VPhd em Hematologia, Hematologista do Hemope

RESUMO

O uso de hidroxiuréia promove a elevação dos níveis de hemoglobina fetal (Hb F) em pacientes portadores de síndromes falciformes (SF) e o medicamento vem sendo estudado em vários grupos de pacientes, incluindo adultos e crianças. O presente trabalho analisou a eficácia e tolerabilidade do uso de hidroxiuréia em crianças na faixa etária entre 5 e 17 anos de idade e em adultos jovens acima de 18 anos, portadores de hemoglobinopatia SS ou Sb0 que foram acompanhados regularmente no ambulatório do Hospital Hemope. Os pacientes pediátricos foram tratados com dose inicial de hidroxiuréia de 10 mg/kg/dia, a qual era aumentada em 5 mg/kg por dia em intervalos de oito semanas, até a dose máxima de 25 mg/kg/dia. Para os adultos, o tratamento foi iniciado com 500 mg/dia de hidroxiuréia até a dose máxima de 1g/dia. Foi observada redução do número de crises álgicas assim como do número de internações hospitalares, elevação do nível de Hb F e do Volume Corpuscular Médio, no grupo pediátrico. Entre os pacientes maiores de 18 anos, também se observou melhora clínica e significância estatística com aumento dos valores da hemoglobina e redução dos valores de reticulócitos, leucócitos e plaquetas. Não foram observados sinais ou sintomas sugestivos de toxicidade medicamentosa em ambos os grupos. O uso de hidroxiuréia em todos os pacientes parece ser seguro e eficaz e assegura melhora da qualidade de vida e benefícios a seus familiares. Ademais, as doses preconizadas de hidroxiuréia aparentemente não foram mielotóxicas, não tendo sido necessária a suspensão do tratamento em nenhum dos pacientes.

Palavras-chave: Síndromes falciformes; tratamento; hidroxiuréia; hemoglobina fetal.


--------------------------------------------------------------------------------







ver artigo compelto http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-84842004000300008

ÁCIDO FÓLICO: Proteção às celulas e aumento da imunidade


O ácido fólico, vitamina essencial para as mulheres encontrada em alimentos com legumes, frutas, feijão e ervilha, pode ajudar a aumentar a imunidade. Também conhecido como folato, o nutriente é responsável pela manutenção das células, e é fundamental em fases de crescimento ou grandes transformações metabólicas, como a infância e a gravidez. A vitamina ajuda a produzir o DNA e o RNA, material genético que dita as funções celulares, e pode ajudar a evitar alterações que levam ao aparecimento do câncer.

Como o folato ajuda a reparar o DNA, alguns especialistas acreditam que a sua deficiência pode alterar a imunidade. Em experiências com animais, pesquisadores conseguiram comprovar que a falta da vitamina diminui a eficácia do sistema imunológico.

Para a maioria dos adultos, a recomendação é ingerir 400 microgramas (mcg) de ácido fólico por dia. Mulheres em idade fértil ou que estão grávidas devem ingerir 600 mcg para reduzir o risco de defeitos congênitos no bebê. O ideal é privilegiar o nutriente vindo da alimentação, e nunca ultrapassar a dosagem de 1,000 mcg de ácido fólico sintético por dia.
obs:Os postos de atendimento médico atualmente oferecem o ácido fólico sob a receita médica.

Fonte: http://boasaude.uol.com.br/lib/ShowDoc.cfm?LibDocID=3942&ReturnCatID=1775

DA MALÁRIA, O QUE NÓS TEMOS EM COMUM?














Os primeiros habitantes do planeta deixaram grandes legados entre nós ocidentais, americanos: seja do norte, latinos, do sul. A história do Africanos, transmite separação e sofrimento apenas pela cor que possuem, trazendo consigo uma história de sofrimentos e desgraças que atribuem segundo historiadores à desobediencia de Caim na qual Deus o expulsou enviando a uma terra onde o sol queimasse bastante a sua pele. No entanto, diversos acontecimentos surgiam e tornaram da África um grande país através do império egípcio, mas, com a grande moda das colonizações e consequentementeo domínio da penísulo ibérica sobre os países deste continente, houve a mistura entre povos.
A mesma terra que acolheu Caim por matar seu irmão Abel, produzia seres que se adaptavam muitíssimo bem ali, pois o calor ou seja, o clima tropical do local fazia que estes seres se proliferassem transmitindo assim uma doença.
A malária ou paludismo, é transmitida pela picada do mosquito anopheles na qual são causadas pro protozoários parasitas do gênero plasmodium. Doença bastante comum em países do mediterâneo e em países de clima tropical, a malária foi um dos motivos que derrubou o grande império romano. Chegou até a américa por negros escravizados, e como muitos cientistas afirmam que o homem de cor negra possui uma resistência maior que o branco, muitos que contraiam a doença, sobreviviam, mas ficavam com sequelas no sangue. As hemáceas passavam a ter uma nova forma: "Forma de Foice".Eis a Anemia Falciforme!

Então, diante do grande circulo vicioso que é a nossa vida, vale a pena pensar em quem somos e olharmos para nossos irmãos independente de raça ou classe e acabar com esse orgulho bobo de que somos branco, pois do que vale mostrar lindo olhos cor de esmeraldas e pele da cor de maçã se nas veias correm o sangue cor de ébano? sim temo salgo em comum enão é apenas o sangue, mas sobretudo a alma que temos na qual aprendemos e sejamos ingênuos na arte de amar.

TESTE DO PEZINHO




O projeto que obriga o Sistema Único de Saúde a oferecer um exame completo do teste do pezinho na rede pública foi aprovado pelo Senado Federal. Com o novo teste será possível detectar mais de 30 problemas genéticos. A matéria segue para a Câmara dos Deputados.
Fonte:http://www.senado.gov.br/noticias/tv/programaListaPadrao.asp?ind_click=&txt_titulo_menu=&IND_ACESSO=S&IND_PROGRAMA=&COD_PROGRAMA=&COD_MIDIA=50161&COD_VIDEO=51941&ORDEM=0&QUERY=&pagina=1


video

TRANSPLANTE PODE CURAR A ANEMIA FALCIFORME

Fonte:

http://www1.folha.uol.com.br/folha/equilibrio/noticias/ult263u625390.shtml