quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

ABDFAL LANÇA CARTILHA PARA PROFESSORES DE REDE PÚBLICA: um convite ao conhecimento à Anemia Falciforme



A Associação Baiana das Pessoas com Doença Falciforme (ABADFAL) propôs a articulação do Programa de Atenção às Pessoas com Doença Falciforme, implantado pela SMS, com outros órgãos da Prefeitura. Nesse contexto, a escola foi apontada como um importante multiplicador. Para tanto, fez-se necessário à realização de encontros entre os coordenadores técnicos destas Secretarias com a participação da ABADFAL, a aproximação entre Coordenadorias Regionais de Educação e os Distritos Sanitários de Saúde, para a produção de um material específico sobre Anemia Falciforme, que subsidiasse os professores nas salas de aula. http://redesaudedapopulacaonegra.blogspot.com/2008/12/associao-baiana-das-pessoas-com-doena.html

ACESSEM!!
http://www.saude.salvador.ba.gov.br/arquivos/coaps/falciforme/impresso.pdf


quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

2012: ANO DE CONQUISTAS, ANO DE DOAÇÃO DE SANGUE


2011 foi um ano bastante agitado, seja na economia, sejana política, com algum divertimento,enfim, sabemos que temos a vida bastante corrida, mas nunca deixamos de nos divertir. Contudo, chegou mais um Natal e festa de Reveillon onde grande parte da população ingerem bebidas alcoólicas. Por se tratar do Natal, as pessoas muitas vezes pensam com humanidade, mas infelizmente ficam somente o pensamento. É preciso pôr em prática e sempre imaginar que um dia poderá ser você, ou alguém bem próximo. Então, antes de chegarmos ao carnaval, aproveitem o vosso sangue sem álcool e vá ao hemocentro mais próximo. Você estará doando vidas!!!

segunda-feira, 18 de abril de 2011

OLHOS AMARELOS


Dizem que "os olhos são espelhos da alma", então, sou uma alma perdida? ou uma alma com mérito?


Porque não sou igual? Meus olhos...


...meus olhos não são verdes? não são totalmente verdes, aquele verde do Pessoa que chegou até o Queiroga e Rogério em que desperta sedução, contempla e relembra o mar trazendo esperança...


São amarelos por natureza, ou saúde? contempla a fragilidade e o encurtamento de uma vida da célula sanguínea que ao correr em minhas veias engarrafa e traz dor.


Uma dor que chega como uma guerra levando ao soldado a necessidade da morfina e nem sempre está resolvido. Ameniza, mas continua para lembrar que sou portadora e não sou e nunca serei igual, mas poderei querer, sonhar e conseguir ser igual a muitos que não possui a Anemia Falciforme.

A Icterícia (cor amarela nos olhos e pele): é o sinal mais freqüente da doença. O quadro não é contagioso e não deve ser confundido com hepatite. Quando o glóbulo vermelho se rompe, aparece um pigmento amarelo no sangue que se chama bilirrubina, fazendo com que o branco dos olhos e a pele fiquem amarelos;e foi justamente através dessa amarelidão em meus olhos que meus descobriram que eu era portadora da Anemia Falciforme.

Viviane Almeida

segunda-feira, 28 de março de 2011

O ÓLEO DE LORENZO



Estamos chegando perto, mas é preciso acreditarmos como os pais de Lorenzo que persistiram em sua fé podendo evitar o final trágico de seu filho amado.

É um filme que foi produzido por Hollywood em 1992, do gênero drama, dirigido por George Miller. É embasado em uma hstória real. Oscar 1993 (EUA) Indicado nas categorias de Melhor Atriz (Susan Sarandon) e Melhor Roteiro Original. Globo de Ouro 1993, Indicado na categoria de Melhor Atriz - Drama (Susan Sarandon). Lorenzo levava uma vida normal até que aparecem diversos problemas de ordem mental, que são diagnosticados como ADL, uma doença extremamente rara e que provoca incurável degeneração no cérebro, levando o paciente à morte em pouco tempo. Os pais do menino ficam frustrados com o fracasso dos médicos e a falta de medicamento para a doença . Começam a estudar e a pesquisar sozinhos, na esperança de descobrir algo que possa deter o avanço da doença. O Óleo de Lorenzo é uma história verídica, de Lorenzo Odone, que aos oito anos começou a demonstrar os sintomas de rara doença genética e incurável, a adrenoleucodistrofia (ADL). Quando seus pais foram informados deste terrível diagnóstico do filho único, não se conformaram e iniciaram uma batalha científica para melhor entender o inimigo invisível que ia destruindo o cérebro de Lorenzo, deixando-o cego, surdo, paralítico, incapaz de engolir e de se comunicar. Diante do inesperado desengano dos médicos, eles decidiram estudar livros de medicina e os poucos artigos científicos da época. Tudo que pudesse ajudar na compreensão da ação desta doença e assim poder discutir com os médicos a melhor forma de tratamento para amenizar os sintomas de Lorenzo. Os pais de Lorenzo sem aceitar passivamente o diagnóstico passaram a se dedicar ao estudo dos mecanismos básicos celulares, buscando aprender e entender como as células do organismo funcionam. Passavam dias e noites em bibliotecas, mergulhados em livros numa época em que computadores pessoais e Internet praticamente não existiam. Quando eles acreditavam que haviam encontrado alguma informação relevante, procuravam médicos e professores dos cursos de medicina e discutiam com eles suas idéias, sempre buscando encontrar uma forma de tratamento que minimizasse o sofrimento de Lorenzo. As dificuldades encontradas foram enormes, desde preconceitos de profissionais por serem eles leigos em Bioquímica e Medicina; à impossibilidade de realização de testes em humanos, de tratamentos ainda não autorizados pelo FDA (Food and Drug Administration – Órgão que fiscaliza a saúde nos Estados Unidos). Uma luta intensa para encontrar parceiros químicos com competência para produzir a fórmula dos óleos que eles acreditavam que pudessem curar Lorenzo. A ADL se caracteriza pelo acúmulo de ácidos graxos saturados de cadeia longa (principalmente ácidos com 24 e 26 carbonos) na maioria das células do organismo afetado, mas principalmente nas células do cérebro, levando à destruição da bainha de mielina, que protege determinados neurônios. Sem a mielina, eles perdem a capacidade de transmitir corretamente os estímulos nervosos que fazem o cérebro funcionar normalmente e aí surgem os sintomas neurológicos da doença. O óleo de Lorenzo é uma mistura de dois ácidos graxos insaturados, o ácido oléico (C18:1) e ácido erúcico (C20:1), cujo metabolismo se sobrepõe ao dos saturados, evitando assim o seu acúmulo. Para chegar a isso, os pais de Lorenzo estudaram os resultados de muitas pesquisas na época, inclusive feitas em animais. Eles sabiam, por exemplo, que o óleo é tóxico para ratos, levando-os à morte, mas tiveram a coragem de ministrar em seu filho e mostrar ao mundo que o óleo é inofensivo aos humanos e que podia reverter e principalmente evitar os efeitos catastróficos da ADL. A família ainda enfrenta dificuldades com o FDA, que até hoje não autorizou o uso em humanos. O óleo é hoje produzido por uma companhia inglesa, e o Sr. Odone não recebe nenhuma porcentagem das vendas. O Óleo de Lorenzo http://pt.shvoong.com/entertainment/movies/1586410-%C3%B3leo-lorenzo/#ixzz1HuiQTlfd

sexta-feira, 25 de março de 2011

ANGOLA REGISTRA AUMENTO DE DOENTES COM ANEMIA FALCIFORME




Luanda – O ministro da Saúde, José Van-dúnem, informou neste último dia 22, em Luanda, que o país tem registado aumento no número de doentes com Anemia Falciforme, levando ao agravamento da taxa de mortalidade de crianças menores de cinco anos de idade.

Para ver a matéria completa:http://www.portalangop.co.ao/motix/pt_pt/noticias/saude/2011/2/12/Angola-regista-aumento-doentes-com-Anemia-Falciforme,c8a096b3-a019-4305-a70d-561b1d296bcd.html

A ANEMIA FALCIFORME EM DESENHO ANIMADO

video

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

HEMOSE NOTÍCIAS


HEMOSE INICIOU NESTE ÚLTIMO SÁBADO A CAMPANHA DE DOAÇÂO PARA O CARNAVAL


De acordo com a Secretaria da Saúde do estado de Sergipe, a inalidade de sensibilizar os cidadãos para o ato da doação de sangue. Dentre essas ações, Pdemos destacar a Blitz da Cidadania, o resgate do ‘Santo de Casa Também Faz Milagre’ além do Projeto Verão, promovido pela Clínica e Hospital São Lucas, que intensificou o trabalho para ampliação do cadastro de Medulo Óssea.

lembrando que para doar sangue é:
Peciso apresentar documento oficial, com foto, expedido por órgão público; estar bem de saúde; ter entre 18 e 65 anos de idade; pesar acima de 50 kg; dormir bem nas últimas 24 horas; não estar em jejum; não ingerir bebidas alcoólicas 12 horas antes da doação; dentre outros.

Os interessados em fazer doações de sangue podem procurar o Hemose, situado na Avenida Tancredo Neves, vizinho ao Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), nos seguintes horários: de segunda a sexta-feira, de 7h às 17h, e aos sábado, de 8h às 12h. Mais informações através dos telefones (79)3259-3191 e 3259-3174.